Dicas fáceis de resolução de problemas das bombas pneumáticas de diafragma – Parte 3: operação errática 

Dicas fáceis de resolução de problemas das bombas pneumáticas de diafragma – Parte 3: operação errática 

 

Chegamos à parte 3 da nossa série de resolução de problemas das bombas pneumáticas de diafragma, agora tratando dos problemas de operação errática. Algumas vezes, mesmo sem causa aparente, as bombas podem apresentar alguns problemas de funcionamento, como:

 

A bomba emite um som agudo: pode significar que os anéis da válvula piloto precisam ser substituídos;

A bomba cicla uma vez, mas não volta: nesse caso, a bomba pode apresentar pinos de atuador dobrados, gaxetas de válvula de ar que foram instaladas corretamente, ou outro problema.

 

Os sinais de operação errática da bomba pneumática de diafragma devem ser analisados para que a causa seja identificada e corrigida. Quando essa correção não acontece, a bomba pode acabar sofrendo um dano maior e a um grande tempo de inatividade, prejudicando o andamento das atividades e a produtividade da empresa.

 

Ao apresentar problemas, é importante verificar a possibilidade de uma sucção obstruída, como tratamos no artigo anterior, o que pode fazer com que a bomba acabe funcionando a seco e apresentando problemas, como o estresse do diafragma (dependendo do tipo de elastômero utilizado).

 

Por exemplo: caso a bomba utilize um diafragma de PTFE, e a bomba acabar funcionando a seco, ele pode acabar se dobrando e formando um vínculo, ao ponto de ruptura. Por essa razão, é muito importante evitar que essa bomba funcione a seco por longos períodos.

 

Como prevenir o funcionamento errático das bombas pneumáticas de diafragma?

 

Antes mesmo de realizar a instalação da sua bomba pneumática de diafragma, é muito importante conhecer e se familiarizar com os seus componentes, dessa forma fica mais fácil reconhecer e identificar possíveis problemas. Verifique também o tamanho da linha de entrada de ar e se a pressão de ar está adequada para a sua aplicação, além de manter a linha de sucção acima do fundo do tanque, evitando o acúmulo de detritos e possíveis obstruções.

 

Evitando o funcionamento errático durante a operação:

 

 

Problema: sucção, coletores ou linhas de descarga entupidos

Solução: realize a limpeza dos detritos e evite que eles retornem instalando um filtro do lado da sucção da bomba, de forma a evitar que os detritos maiores entrem na bomba. Essa abordagem também pode ajudar a aumentar a vida útil dos diafragmas mantendo-os limpos e livres de resíduos.
Problema: falta ou excesso de suprimento de ar

 

Solução: embora as bombas pneumáticas de diafragma possuam um limite de pressão, o ideal é que elas operem com um nível menor. Via de regra, o ponto de pressão ideal está entre 60 e 80 psi, de forma a garantir tempo suficiente para que ela encha novamente antes da próxima descarga, aumentando a sua eficiência.

 

Problema: escape congelado

 

Solução: esse tipo de problema pode ser resolvido com a instalação de um secador antes da entrada de ar, ou estendendo a sua exaustão. Com isso, o ar comprimido frio pode se expandir para longe da seção central.

 

Esses são apenas alguns dos problemas de funcionamento errático que podem ser apresentados pelas bombas pneumáticas de diafragma e suas possíveis soluções. Se o problema apresentado pelo seu equipamento for diferente de um deles, consulte os dois artigos anteriores que disponibilizamos:

 

Parte 1: Vazamentos e Parte 2: Defeitos de Sucção.

 

Conte sempre com a Duplação, seu fornecedor confiável para bombas pneumáticas.  Entre em contato pelo telefone (48) 3438-8484 ou e-mail vendas@duplacao.com.br e fale com nossos especialistas.